O ácido ascórbico, mais conhecido como vitamina C, é uma substância essencial para o funcionamento adequado do nosso organismo. Neste artigo, vamos explorar o que é o ácido ascórbico, suas fontes, benefícios para a saúde e também discutir as diferenças entre o Brasil e Portugal em relação ao consumo dessa vitamina.

O que é ácido ascórbico?

O ácido ascórbico é uma vitamina hidrossolúvel que desempenha um papel fundamental em diversas funções do corpo humano. Ele é necessário para a produção de colágeno, um componente importante na formação dos tecidos, como pele, ossos e cartilagens. Além disso, o ácido ascórbico atua como um antioxidante, protegendo as células do organismo contra danos causados pelos radicais livres.

Fontes de ácido ascórbico

Para obter ácido ascórbico, é importante incluir alimentos ricos em vitamina C na dieta diária. Frutas cítricas, como laranjas e limões, são conhecidas por serem excelentes fontes de vitamina C. Outras frutas, como morangos, kiwis e abacaxis, também são boas opções. Além disso, vegetais como brócolis, pimentão e espinafre contêm quantidades significativas de ácido ascórbico.

As recomendações diárias de vitamina C variam de acordo com a idade e o sexo. Em geral, adultos saudáveis devem consumir cerca de 75 a 90 miligramas por dia. No entanto, em certas situações, como durante a gravidez ou em casos de deficiência de vitamina C, pode ser necessário um aumento na ingestão.

Benefícios para a saúde

O ácido ascórbico traz uma série de benefícios para a saúde. Um dos mais conhecidos é o fortalecimento do sistema imunológico. A vitamina C auxilia na produção de glóbulos brancos, que são responsáveis pela defesa do organismo contra infecções e doenças. Portanto, manter níveis adequados de ácido ascórbico pode ajudar a prevenir gripes e resfriados.

Além disso, o ácido ascórbico possui propriedades antioxidantes, combatendo os radicais livres que podem causar danos às células. Essa ação antioxidante contribui para a prevenção de doenças crônicas, como doenças cardíacas e alguns tipos de câncer.

Outro benefício do ácido ascórbico está relacionado à absorção de ferro pelo organismo. A vitamina C melhora a absorção desse mineral, que é essencial para a produção de glóbulos vermelhos e transporte de oxigênio pelo corpo. Portanto, consumir alimentos ricos em vitamina C juntamente com fontes de ferro pode ser benéfico para prevenir e tratar a anemia.

A vitamina C também é importante para a saúde da pele, pois está envolvida na produção de colágeno, que ajuda a manter a pele firme e saudável. Além disso, o ácido ascórbico pode ajudar na cicatrização de feridas e contribuir para a redução de rugas e sinais de envelhecimento.

Diferenças entre Brasil e Portugal

Embora o ácido ascórbico seja conhecido como vitamina C em ambos os países, é importante mencionar que existem diferenças em relação aos nomes e denominações utilizados. No Brasil, é mais comum o uso do termo “vitamina C”, enquanto em Portugal é mais frequente o uso do termo “ácido ascórbico”. Essas diferenças linguísticas refletem as particularidades de cada região.

Além disso, o consumo de vitamina C pode variar entre os dois países. No Brasil, frutas cítricas são amplamente consumidas, e a vitamina C é geralmente obtida por meio da alimentação. Já em Portugal, o consumo de suplementos de vitamina C é mais comum, especialmente durante os meses de inverno, quando a oferta de frutas frescas é menor.

Suplementação de ácido ascórbico

Em alguns casos, a suplementação de ácido ascórbico pode ser recomendada. Isso ocorre quando a ingestão adequada de vitamina C não pode ser alcançada por meio da alimentação ou em situações específicas, como durante a gravidez ou em casos de deficiência comprovada.

A dosagem adequada de suplementos de vitamina C deve ser determinada por um profissional de saúde, levando em consideração as necessidades individuais de cada pessoa. É importante lembrar que o consumo excessivo de ácido ascórbico pode causar efeitos colaterais, como problemas digestivos e formação de cálculos renais. Portanto, é essencial seguir as recomendações do profissional e não exceder as doses indicadas.