Mutação cromossômica simples

A síndrome de Weaver , também chamada de síndrome de Weaver-Smith , é uma síndrome extremamente rara caracterizada por distúrbios esqueléticos genéticos , algumas características faciais típicas e retardo mental de moderado a grave.

Foi descrita pela primeira vez por David Weaver em 1974 e é muito semelhante à síndrome de Sotos. É uma das síndromes mais raras conhecidas, apenas 50 casos foram descritos na literatura médica e estima-se uma prevalência inferior a 1 / 1.000.000, embora não haja dados precisos.

Sintomas e descrição

A síndrome de Weaver costuma ser classificada como um distúrbio de crescimento excessivo . Sua característica mais típica é que os ossos crescem mais do que o normal , tanto em velocidade quanto em tamanho.

O supercrescimento ósseo causa uma altura consideravelmente maior do que a média, mas também é acompanhado por envelhecimento ósseo prematuro .

Outras características comuns, embora nem sempre todas, são macrocefalia com osso occipital achatado, olhos amplamente separados ( hipertelorismo ), dobras epicânticas e estrabismo.

As orelhas podem ser longas e baixas, e a mandíbula pode ser recuada ( retrognatia ou mandíbula curta). O tom de voz pode ser baixo e a boca pequena com uma longa prega nasolabial.

Pele flácida, cabelo fino, costelas curtas e extensão limitada de algumas articulações, incluindo articulações interfalangianas (camptodactilia), ombros e joelhos, também podem aparecer.

É comum o atraso no desenvolvimento de habilidades motoras , como ficar sentado, em pé ou caminhando, com má coordenação.

Também é típico um atraso variável no desenvolvimento intelectual que pode ser grave, problemas comportamentais e condições de origem neurológica, como atraso na fala, hipotonia e hipertonia.

Causas

A causa da síndrome de Weaver é uma mutação genética , a mutação mais frequentemente identificada do gene EZH2 ( Enhancer of zeste homólogo 2 ). Este gene, localizado no cromossomo 7, codifica a enzima histona-lisina metiltransferase EZH2 .

EZH2 reprime a transcrição gênica e é a chave na regulação da expressão gênica . Ele forma o componente catalítico do PRC2 ( Polycomb Repressive Complex 2 ) que catalisa a metilação do DNA e facilita a formação de heterocromatina , a conformação do DNA em que a transcrição não pode ocorrer .

O EZH2 também desempenha um papel crítico na diferenciação celular, afetando, entre outros, o desenvolvimento embrionário, a osteogênese, a miogênese, a limpogênese e a hematopoiese.

Em alguns casos, foi observada uma mutação no gene NSD1 , no cromossomo 5. A função desse gene não é bem compreendida, mas também parece influenciar a transcrição.

A mutação do gene NSD1 é a principal causa da síndrome de Sotos , com sintomas muito semelhantes aos da síndrome de Weaver, mas é muito rara em outras síndromes de supercrescimento 2 .

Padrão hereditário

A síndrome de Weaver tem um padrão de herança autossômico dominante , o que significa que uma mutação de uma das duas cópias do gene em cada célula é suficiente para causar a doença.

A maioria dos casos ocorre em pessoas sem histórico familiar , o que indica que é devido a novas mutações durante a formação de gametas ou durante o desenvolvimento embrionário, e não a mutações hereditárias , embora pacientes com síndrome de Weaver transmitissem a mutação em 100% de seus descendentes.

Novo padrão de mutação dominante

Diagnóstico e Tratamento

O diagnóstico diferencial requer testes genéticos para a detecção de mutações no gene EZH2, geralmente por amplificação por PCR.

O manejo da doença tem uma abordagem multidisciplinar que inclui, entre outros, neurologia, pediatria, ortopedia, fisioterapia e terapia ocupacional. A terapia da fala também é geralmente recomendada.

Não há cura para a síndrome de Weaver, mas com tratamento adequado, os pacientes com síndrome de Weaver podem ter uma qualidade de vida aceitável e expectativa de vida normal.