A apendagite omental é uma inflamação conhecida como protuberâncias gordurosas dos apêndices omentais em forma de pedúnculo aparecendo ao longo do cólon. Às vezes também é chamada de apendicite epiplóica , mas não deve ser confundida com apendicite , que é a inflamação do apêndice vermiforme e requer um tratamento muito diferente.

Os apêndices epiplóicos

Todos os órgãos do abdome são envolvidos por uma membrana serosa conhecida como peritônio . Os apêndices epiplóicos são formados por projeções dessa membrana preenchida por gordura . Eles estão dispostos em duas faixas longitudinais do ceco, na parte inicial do intestino grosso, até o cólon sigmóide, a última parte do cólon antes do reto.

Tem sido sugerido que os apêndices epiplóicos atuam como uma barreira contra a expansão das infecções no peritônio, como uma simples reserva de energia ou com alguma função de absorção, mas as funções exatas que podem desempenhar ainda não são conhecidas.

Apêndices epiplóicos e outras partes do cólon

Apendagite epiplóica

Apendagite epiplóica, um termo cunhado por Lynn et al. em 1956, refere-se geralmente à inflamação dos apêndices epiplóicos por qualquer causa. Seu principal sintoma, e muitas vezes o único, é uma dor abdominal aguda , bem localizada e não irradiada, principalmente na parte esquerda do abdome . A dor geralmente aumenta durante a defecação e a micção devido à tração dos apêndices.

A principal causa da apendagite epiplóica é atribuída à torção dos anexos , geralmente devido ao acúmulo de gás, o que impede o fornecimento adequado de sangue. Também pode ser causada por trombose espontânea. Em ambos os casos, pode ocorrer necrose da gordura intrapedincular , que produz a condição inflamatória aguda que causa a apendagite epiplóica .

A apendagite epiplóica é uma condição geralmente autolimitada , com bom prognóstico e cujo tratamento requer repouso e antiinflamatórios para o alívio da dor. Geralmente desaparece em alguns dias, embora às vezes possa durar várias semanas. A apendagite epiplóica não requer tratamento com antibióticos ou tratamento cirúrgico 1 .

A diverticulite e a apendicite também se manifestam com dor abdominal aguda, mas têm uma etiologia muito diferente. Ambos estão intimamente ligados a infecções , tanto como causa quanto como possível complicação, razão pela qual precisam de tratamento com antibióticos. Além disso, a apendicite geralmente requer intervenção cirúrgica de emergência e a diverticulite pode exigi-la em casos avançados.

Para não utilizar antibióticos de maneira inadequada ou sujeitar os pacientes a intervenções cirúrgicas desnecessárias, é muito importante o diagnóstico diferencial entre esses problemas de saúde com sintomas semelhantes. O diagnóstico por imagem mais confiável no diagnóstico de apendagite epiplóica é a tomografia computadorizada ou TC .