Candirus perigosos são nativos da região do Rio Amazonas, na América do Sul.

O candiru, também conhecido como Vandellia cirrhosa ou peixe palito , é um pequeno bagre de água doce parasita, sem escamas, nativo da região do Rio Amazonas, na América do Sul. Candiru pertence à família Trichomycteridae , que inclui 207 espécies de bagres parasitas. Para alguns, o termo ‘candiru’ se refere não apenas a um peixe, mas a todos os do gênero Vandellia . Muitas fontes, entretanto, usam o termo para se referir apenas à Vandellia cirrhosa .

Durante a micção, a uretra se expande o suficiente para permitir a entrada de um parasita.

O peixe parecido com a enguia pode crescer até seis polegadas (cerca de 15,24 cm) de comprimento e tem um corpo translúcido com uma cabeça pequena. Não se sabe muito sobre os hábitos de reprodução deste peixe. Ele se alimenta de peixes maiores bebendo seu sangue e, depois de se alimentar, sua barriga pode parecer inchada e distendida.

Seus hábitos alimentares deram ao candiru uma reputação infame, ainda mais infame que a da piranha. O peixe caça literalmente provando a água. Ele procura sua presa em busca de amônia , um subproduto que é expelido das guelras de outros peixes. Quando o parasita localiza uma vítima, ele se força a entrar na cavidade das guelras da vítima. Uma vez dentro, ele se fecha levantando espinhos em suas próprias guelras.

Quando as pessoas nadam ou vadiam nas águas em que esses peixes habitam, devem ter muito cuidado para não urinar ao fazê-lo. A urina humana contém amônia, o produto químico usado pelos candirus para localizar as presas. Durante a micção, a uretra se expande o suficiente para permitir que a urina seja expelida e o parasita entre.

Sabe-se que esses peixes seguem o caminho da urina até a uretra de pessoas desavisadas. Por exemplo, há um caso bem conhecido de um homem que teve que remover cirurgicamente um peixe de 15 centímetros de seu pênis, depois de ter ficado alojado ali por alguns dias. O peixe deve ser removido cirurgicamente porque os espinhos nas guelras tornam impossível removê-lo puxando-o para fora.

Outro peixe conhecido simplesmente como candiru é o candiru asu , que costuma ser confundido com o parasita que se alimenta de sangue. Este tipo se alimenta principalmente de órgãos e carne. Tem uma boca pequena e circular cheia de dentes afiados, que usa para fazer um buraco na vítima. Uma vez feito o buraco, o peixe penetra no corpo e o consome por dentro. Esses peixes não comem apenas cadáveres, mas qualquer corpo que esteja incapacitado na água.

Quando os corpos são recuperados do rio Amazonas, os legistas costumam descobrir buracos em forma de bala neles. Após uma inspeção mais detalhada, um inspetor pode descobrir que o corpo está realmente cheio desses parasitas. Descobriu-se que alguns cadáveres continham centenas desses peixes.