Vaidade , do latim vanĭtas , é a qualidade do vão (vazio, oco ou carente de realidade, substância ou solidez). Este adjetivo está ligado ao insubstancial, arrogância, presunção e inchaço .

Também não devemos esquecer que este termo que nos diz respeito é usado, da mesma forma, para se referir a todo aquele conjunto de coisas que existem em nosso mundo e que têm uma data de validade.

A vaidade é uma manifestação de orgulho e arrogância . A vã pessoa se sente superior aos outros, quer de um ponto de vista intelectual ou física. O vaidoso não hesita em destacar sua suposta habilidade sempre que pode, menosprezando as outras pessoas.

Nesse sentido, a vaidade esconde o sentimento de inferioridade e o desejo de ser aceito pelo outro. Ao exibir as suas virtudes, o vaidoso tenta mostrar que não é menos que ninguém (o que realmente sente) e espera o aplauso e a admiração dos que o rodeiam.
Para a teologia cristã, a vaidade faz o homem sentir que não precisa de Deus . É uma espécie de auto-idolatria: o vaidoso rejeita Deus porque tem a si mesmo. A vaidade, na verdade, é um dos pecados capitais (já que gera outros pecados ).
Especificamente, podemos estabelecer que sete são os pecados capitais, os vícios que o Cristianismo estipula que devem ser evitados por serem contrários à moral desta religião: luxúria, gula, ganância, preguiça, inveja, raiva e a mencionada vaidade ou orgulho.
Mais exatamente, podemos dizer que o último, como o resto dos pecados acima mencionados, está associado a um demônio muito específico. Nesse caso, está relacionado a Lúcifer, que é o nome dado ao anjo caído. É sobre aquele anjo que tinha grande beleza e sabedoria maravilhosa, mas que, movido por seu orgulho, foi levado para o inferno, onde se tornou Satanás.
Uma boa maneira de entender o que é vaidade é encontrada no mito de Narciso . A versão mais conhecida dessa história indica que Narciso era um jovem apaixonado por si mesmo. Um dia, ao ver seu lindo rosto refletido em um lago, ele fica absorvido e arrebatado, incapaz de se separar da imagem. Finalmente Narciso morre (suicidando-se, afogando-se ou por não conseguir se separar de seu reflexo, dependendo da versão) e uma linda flor cresce no local.
Para além de tudo o que precede, não podemos ignorar que existe actualmente uma publicação madrilena intitulada “Vanidad”. É uma revista que aborda os mais diversos assuntos, voltada quase que exclusivamente para o público feminino.
Assim, acabamos escrevendo artigos sobre temas como moda, beleza, cultura em geral, gastronomia ou gente famosa. Da mesma forma, esta publicação foi tão bem recebida que também possui estação de rádio e canal de televisão próprios.